Pesca Feliz - Veículos cedidos pela Volvo passam por mais de quatro mil cidades brasileiras no combate ao COVID-19

0

Cerca de 270 veículos de todos os modelos comercializados pela Volvo no Brasil foram disponibilizados desde o início da pandemia para dezenas de entidades que atuam diretamente no auxílio à pessoas impactadas pelo coronavírus

Desde quando a pandemia de COVID-19 foi declarada em todo o mundo, alguns fabricantes de automóveis têm prestado importantes serviços para auxílio no combate ao coronavírus, inclusive no Brasil. Desta vez destacamos o elogiável trabalho feito pela Volvo do Brasil, que disponibilizou sua frota corporativa para atender diversas entidades assistenciais que atuam no auxílio a pessoas necessitadas e impactadas neste período.

Conhece o nosso canal no Youtube? Clique aqui e se inscreva!

Cerca de 270 veículos foram cedidos para diferentes organizações, entidades e pequenos negócios, dentre eles a Cruz Vermelha Brasileira, Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, CUFA (Central Única das Favelas), Instituto Dharma, Por Nossa Conta, Mercadão das Flores, DeFEMDe, Rede Rua. Casa Chama, Acreditar e UneAfro.

“Nosso principal objetivo desde o início foi ajudá-los a atender a múltiplas frentes de atuação no combate desta pandemia e tornar o trabalho dos seus profissionais e voluntários mais ágil e seguro. Foram diversas as áreas de atuação, como na Santa Casa, onde os carros ficaram à disposição dos profissionais de saúde para se deslocar entre suas residências e o hospital. Ou no Ahpas que fez o transporte de crianças que estão em tratamento para o câncer, já que as famílias estavam encontrando dificuldades com o transporte público e elas se enquadram num grupo de maior risco”, comenta João Oliveira, diretor geral de operações e inovação da Volvo Car Brasil.

Inicialmente prevista para durar 30 dias, a ação se estendeu por mais de três meses e acumula números impressionantes. Com todas as frentes de atuação, os veículos da Volvo passaram por mais de 4.000 municípios e rodaram 680 mil quilômetros, distância suficiente para dar a volta na Terra 17 vezes.

“Além dos empréstimos, também instalamos 14 carregadores para auxiliar no abastecimento dos veículos híbridos. Ou seja, com esses veículos, as entidades não tiveram praticamente nenhum gasto com combustível. Mas o melhor é que, se comparado a carros regulares (de mesmo peso e porte), deixamos de emitir na atmosfera 70 toneladas de gás carbônico”, destaca João.

No total, foram mais de 75 mil entregas de alimentos, entre cesta básica, ovos de páscoa, leite, água, marmitas, etc. Foram impactadas durante a ação cerca de 1 milhão de pessoas.

Voluntário da Central Única das Favelas ao volante de um Volvo XC40 transportando alimentos às comunidades

As entidades tiveram acesso a todos os modelos que a Volvo comercializa no Brasil, que foram divididos de acordo com a necessidade e o uso de cada uma: XC90, XC60, XC40, S60, S90 e V60, tanto na configuração com motores à combustão, como também em versões híbridas, em que é possível carregar os carros na tomada.

O Instituto Acreditar, de Pernambuco, que atua na proteção de mulheres em situação de vulnerabilidade, entregou 18.172 toneladas de alimentos e realizou 1.584 atendimentos à famílias. Foram mais de 4.100 pessoas beneficiadas com os mantimentos.

A AHPAS, de São Paulo, atuou no transporte de crianças com câncer, fazendo mais de 345 atendimentos e beneficiando 1.455 com a entrega de cestas básicas.

A Casa Florecer e a Casa Chama, que trabalham com a população LGBT na capital paulista transportaram juntas mais de 6.920 máscaras, 1.750 kits de higiene, 1.030 cobertores, 2.929 cestas básicas e 800 litros de álcool gel.

A Uneafro, que trabalha na periferia, comunidades quilombolas e aldeias indígenas em SP e RJ, entregou 122 toneladas de alimentos, 67.358 kits de higiene, 7.647 marmitas, além de leite em pó, ovos de páscoa e diversos mantimentos. Dentre as ações, fizeram a entrega de 400 flores no Dia das Mães, levando também a alegria para centenas de lares, e construíram duas duchas de banho móveis para moradores de rua em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

Já a Cruz Vermelha de São Paulo, que atuou diretamente no combate à pandemia, estima ter ajudado mais de 120.618 pessoas em 133 ações diferentes. Foram 56.306 itens doados, 18.025 refeições, 6.392 cestas básicas, 2.000 kits de higiene, além de água, roupas e medicamentos.

Distribuição de kits de higiene e alimentos em uma comunidade paulistana pela Central Única de Favelas

O Instituto Dharma, atuando na periferia do Rio de Janeiro, entregou o equivalente a 24 toneladas de alimentos e 30 mil litros de água. O É de Lei, que trabalha na cracolândia, em São Paulo, distribuiu kits de máscaras e higiene para mais de 600 pessoas. As Mulheres De Paraisópolis fizeram 13.015 marmitas e doaram 6.850 cestas básicas.

A Rede DeFEMDe, que atua com mulheres em situação de violência doméstica e vulnerabilidade entregou 781 cestas básicas, além de mais de 600 itens entre roupas, kits e máscaras. A Rede Rua, que trabalha com moradores de rua em São Paulo, entregou 4.729 marmitas e refeições, além 3.354 de kits de higiene, cobertores, roupas, entre outros.